O livro, da autoria da historiadora Maria Teresa Caetano, está editado e disponível para  consulta na Revista Tritão, revista  de História, Arte e Património da CMS.

 

 

      

 

 

O livro, que recolhe textos de António Caruna, está editado e disponível para consulta na RevistaTritão, revista de História, Arte e Património da CMS.

Ataque do Viking Sigurd a Sintra pelo rio de Colares em 1109. 

 

 

Em 1109 deu-se um ataque nórdico às costas do Garb al-Ândalus bem ao estilo dos piratas vikings, ainda que fora da chamada “Idade Viking” (com terminus em 1086). Esse ataque foi liderado por Sigurd, jovem co-monarca norueguês que seguia a caminho da Terra Santa com 60 navios e que pilhou vários locais costeiros depois de invernar em Inglaterra e de fazer estragos na costa da Galiza, sendo que neste último caso isso ocorreu após o governador local deixar de abastecer as forças nórdicas com a comida e os suprimentos adequados.

Continuando a viagem para Sul, e para o caso do actual território português, Sintra, Lisboa e Alcácer do Sal foram os próximos locais atacados por Sigurd e pelas suas forças. No caso de Sintra, é muito provável que os guerreiros nórdicos tenham subido o rio de Colares (outrora navegável) durante a praia-mar e desembarcado no porto local, o qual ficaria na área do Banzão. Aliando a proximidade do alvo (castelo) a atacar às possibilidades de progressão no terreno, nenhum outro local oferecia melhores condições de desembarque que a costa de Colares, cuja subida do rio condizia bem com o estilo destes guerreiros, habituados a expedições por quilómetros acima da linha de costa em navios adaptados a cursos de água rasos.

Seguiu-se um ataque ao castelo de Sintra (Mouros ou Colir?), o qual era habitado por “pagáns que loitaban contra cristiáns”. Sigurd conquistou o castelo e matou todos os seus habitantes porquanto não se quiserem converter ao Cristianismo, obtendo uma grande presa. Assim reza a saga nórdica que eternizou estes feitos de Sigurd, embora alguns pormenores sejam bastante discutíveis.

Fontes:

Vicente Almazán, Gallaecia Scandinavica. Introducción ó estúdio das relacións galaico-escandinavas durante a Idade Media, Vigo, Galáxia, 1986; Maria Teresa Caetano, Colares, Sintra, Câmara Municipal, 2000; Marco Oliveira Borges, “A Defesa Costeira do Litoral de Sintra-Cascais durante o Garb al-Ândalus. I – Em torno do Porto de Colares”, História. Revista da FLUP Porto, IV série, vol. 2, 2012.

Contacto

B.V. ALMOÇAGEME Av. Dr. Brandão Vasconcelos, 82 Almoçageme 2705-018 COLARES
URGÊNCIAS 21 928 817O
GERAL 21 928 8171
FAX 21 929 1973
SECRETARIA 21 928 8173
CENTRO CLÍNICO 21 928 8172
FISIOTERAPIA 21 928 8178
PAV. DESPORTIVO 21 928 0270
FARMÁCIA 21 928 3298
secretaria@bvalmocageme.pt